Tiro ao alvo Hansa-Humboldt

A foto é do início dos anos 1940 e mostra a antiga sede da Sociedade de Tiro ao Alvo
Hansa-Humboldt, Corupá. Diz Aldo Eickhoff sobre a foto: “Nunca entendi por que demoliram. Assim como outras construções antigas de boa qualidade, que só precisavam de manutenção”. A nova sede foi construída em área aos fundos da antiga.
(Antigamente em Hansa Humboldt/foto Kurt Gern postada por Brigite Brandeburg)

Anúncios

O altar da São Sebastião

Loreno Luiz Zatelli Hagedorn descreve a foto: “Altar da Igreja Matriz de São Sebastião de Jaraguá do Sul, construído por indicação do Padre Aloisio Boeing, durante a gestão do padre Elemar Scheid, na marcenaria de Theobaldo Hagedorn. Infelizmente, só restou em nossa lembrança. Após a modernização da Matriz, não sabemos o que foi feito deste altar”.

Um pioneiro em terras de Corupá

Marcio Brosowsky descreve a foto: “Sentado está Franz Brosowsky, um dos primeiros pioneiros de Corupá. Ele nasceu no vilarejo de Schönwiese, na Prússia Oriental, em 1852. A família mudou-se para para Essen, na Alemanha, e lá nasceram alguns filhos. Depois imigraram para o Brasil. O casal de pé é o filho, Carlos Brosowsky, e sua esposa, Ida Küster Brosowsky.

A menina ao lado, Helene Brosowsky, mais tarde Helene Arnold, que faleceu recentemente. Provavelmente essa foto tirada um pouco antes de Franz morrer, em 1927. O nome Brosowsky deriva de Brzosowski e quer dizer: Veio de um lugar de faias (árvore europeia). Brigitte Brandenburg complementa: “Eu encontrei o nome dele em uma lista (AHJ) de compradores de lotes de Hansa, em 1902, lotes 34, 35 e 35.” As terras estavam no chamado “Caminho Pequeno”, ao pé da serra que leva para São Bento do Sul.

Festa no colégio

Anos 1960. Alunos do Colégio São José (Corupá), recentemente ameaçado de fechamento, perfilados para mais um desfile comemorativo a 7 de setembro, Independência do Brasil. Com meninos e meninas devidamente uniformizados. O Colégio São José foi fundado em 1929 pela Congregação Sagrado Coração de Jesus e dirigida pelo padre Vicente Schmitz, sendo assim, uma escola paroquial particular. Na época o Colégio mantinha três classes, com matrícula média de 116 a 120 crianças. Em 1932, as Irmãs Franciscanas de São José chegam ao distrito para auxiliar as aulas, a convite do padre Vicente. Em 1939, a irmã Felipana Boeing assume a direção do colégio. (Lorena Mezoni Gaedtke/Antigamente em Hansa Humboldt).

Escola Mista do Rio Branco

Alunos da Escola Mista Estadual do Núcleo Barão do Rio Branco (hoje bairro Rio Branco) em Guaramirim. Com os professores Cantalício Érico Flores (meu avô) e Mário Flores (meu tio). A fotografia é datada de 20 de novembro de 1936. Cantalíci, que também foi farmacêutico subdelegado administrador, chefe do núcleo e vereador,  empresta o nome à principal praça pública do Centro do município, na Rua 28 de Agosto, além de ter sido homenageado com nome de rua. (Antigamente em Guaramirim/foto postada por Niura Flores).

Os aspirantes do Baependi

Rolli Bruch descreve a fotografia feita há 63 anos: “Saudosamente e ávido para recordar passagens esportivas de que participei com meus amigos, procurei nos arquivos fotos de antigamente. E, para aflorar ainda mais minha saudade, localizei a do time de “aspirantes” do Baependi, em 1953.

Observa-se, porque todos estão identificados com seus nomes, que muitos deles tiveram participação importante no desenvolvimento de Jaraguá, independente de suas atividades profissionais. Eu apareço (de terno) “infiltrado” (fotografia era rara naquela época) porque em 1953 era goleiro titular do Baependi. Saudades da época e, principalmente, dos queridos amigos”. (Fonte: Antigamente em Jaraguá do Sul/foto postada por Rolli Bruch

A velha ponte

Heins Thonsen faz comentário sobre a foto de 1913 mostrando a antiga ponte Abdon Batista, construída em estrutura metálica e ainda sem a cobertura de zinco: “ Esta ponte realmente faz falta à cidade como ponto turístico. Eu estive lá pescando e o que chamava a atenção era o barulho das carroças passando, o tropel dos cavalos, até a cobertura de zinco balançava. Tempo bom”. Da ponte, demolida com a construção da nova Abdon Batista, só sobrou o pilar central que pode ser visto até hoje.

(Fonte: Antigamente em Jaraguá do Sul/foto postada por Rolf Vogel)ponte